PROTAGONISMO DAS EXPRESSÕES ARTÍSTICAS AMAZÔNICAS NO ENSINO DE ARTES NA/PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA: quando o seu ouvir, ver e fazer (in)surge

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24065/re.v13i1.2336

Palavras-chave:

Currículo de artes. Educação Básica. Preservação da Cultura.

Resumo

O objetivo deste estudo foi refletir sobre o protagonismo das expressões artísticas amazônicas no ensino de artes na/para a educação básica da região Norte do Brasil. Para isso, realizamos levantamento de pesquisas brasileiras cuja amostra final contemplou 16 estudos. No intuito de ampliar o sentido do termo “expressões regionais”, disposto na legislação, buscamos além do próprio termo, por “expressões artísticas”, “expressões locais”, “expressões culturais”, “expressões populares”, “manifestações populares”, “saberes populares” e “saberes tradicionais” juntamente com os descritores “ensino de artes” e “Amazônia”, estes dois últimos permanecendo fixos a cada nova busca. As bases de dados foram a Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), Google Scholar e SciELO (Scientific Electronic Library Online). Da análise emergiram três categorias: formação docente e/ou dos estudantes, inserção no currículo e preservação cultural. No (in)surgir, as expressões artísticas regionais amazônicas demonstraram diferentes alcances no ensino de artes, como juventude e inclusão, educação quilombola, trabalho, arte a partir de saberes musicais locais, infância e teatro, currículo de artes na escola indígena, tecnologias digitais e formação e prática docente na escola ribeirinha. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dalila Marques Lemos, Universidade Federal de Roraima

Doutoranda em Educação na Amazônia pelo Programa de Pós-Graduação em Educação na Amazônia – PGEDA/UFRR – Polo Manaus. Técnica em assuntos educacionais na Universidade Federal de Roraima (UFRR), Boa Vista, Roraima, Brasil.

Leila Adriana Baptaglin, Universidade Federal de Roraima

Pós-Doutorado em Filosofia e Ciências Humanas em Nuestra América na Universidad Nacional Experimental Simón Rodríguez, UNESR, Venezuela (2018-2019). Professora/pesquisadora Auxiliar 40hs DE do Curso de Artes Visuais/Licenciatura da UFRR, Boa Vista, Roraima, Brasil. Professora no Programa de Pós-Graduação Doutorado em Educação na Amazônia – PGEDA/UFRR. Coordenadora do Grupo de estudos e pesquisas em Patrimônio, Arte e Cultura na Amazônia (GPAC).

Referências

ALMEIDA, E. M. M. Ecologia de saberes: um estudo do diálogo entre o conhecimento escolar e o saber popular dos ribeirinhos da Ilha do Açaí. 2016. 227f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Nove de Julho, São Paulo/SP, 2016.

ALMEIDA, S. P. Mídias digitais na formação docente em Artes Visuais: experiências no Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), realizadas em Alenquer/PA – 2020. 2022. 88f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Federal do Pará, Belém/PA, 2022.

ARANHA, I. C. F. Artes como disciplina no currículo da escola indígena e na formação de seus (suas) professores(as). 2009. 105f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus/AM, 2009.

ARAUJO, J. P. O saber fazer indígena na educação escolarizada: análise em uma escola Ticuna. 2020. 100f. Dissertação (Mestrado em Sociedade e Cultura na Amazônia) - Universidade Federal do Amazonas, Tabatinga – AM, 2020.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Mapeamento da adequação docente no Brasil. Brasília: MEC/SEB, 2022.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Mapa político da região norte 2017. 2017a. Disponível em https://geoftp.ibge.gov.br/cartas_e_mapas/mapas_regionais/politico/2017/norte_politico2700k_2017.pdf. Acesso em: 21 fev. 2023.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis n.ºs 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional [...]. Brasília, DF: Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2017b. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm. Acesso em: 21 fev. 2023.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 março de 2008. Altera a Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Brasília, DF: Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2008. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm. Acesso em: 21 fev. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio - Parte II – Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 2000.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Artes. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, promulgada em 05 de outubro de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 10 fev. 2023.

CARAVEO, S. C. O gênero musical Guitarrada: práticas e saberes da cultura popular paraense e possíveis caminhos para inserção curricular. In: CONGRESSO NACIONAL DA ABEM, 23., 2017, Manaus. Anais ... Manaus: Universidade Federal do Amazonas, 2017, v.2, p. 1-16. Disponível em: http://abemeducacaomusical.com.br/anais_congresso/v2/papers/2667/public/2667-9389-1-PB.pdf. Acesso em: 5 jan. 2023.

COLARES, A. A. História da educação na Amazônia. Questões de natureza teórico-metodológicas: críticas e proposições. Revista HISTEDBR Online, Campinas/SP, v. 11, n. 43e, p. 187–202, 2012. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639960. Acesso em: 29 mai. 2022.

COLARES, A. A.; COLARES, M. L. I. S. Amazônia: o universal e o singular. In: COLARES, A. A.; COLARES, M. L. I. S. (Org.). Educação e realidade amazônica. Uberlândia: Navegando Publicações, 2016. p. 11-23. Disponível em: https://www.editoranavegando.com/_files/ugd/35e7c6_877db987057646b79c466a958ea288e1.pdf. Acesso em: 04 abr. 2022.

COSTA, B. M. S. A cultura nas margens da Educação: formação, ensino e saberes afroamapaenses na voz de professores de arte. 2014. 126f. Dissertação (Mestrado em Artes) - Universidade Federal do Pará, Belém/PA, 2014.

COSTA, O. G. Jogos dramáticos e manifestações populares regionais: um recurso metodológico para o ensino de teatro na escola. 2005. 160f. Dissertação (Mestrado Interinstitucional em Artes Cênicas: convênio firmado entre a Universidade Federal da Bahia e a Universidade Federal do Pará, Salvador/BA, 2005.

DIAS, N. N. A cultura e o hibridismo tecnológico no programa ensino médio presencial com mediação tecnológica: um estudo de caso. 2018. 170f. Dissertação (Mestrado em Sociedade e Cultura na Amazônia) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus/AM, 2018.

DIAS, R. F. C. O ensino de desenho no âmbito cultural e profissional na Amazônia amapaense. 2020. 228f. Tese (Doutorado em Arte e Cultura Visual) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia/GO, 2020.

FLEURI, R. M. Interculturalidade, identidade e decolonialidade: desafios políticos e educacionais. Série-Estudos, [S. l.], n. 37, p. 89-106, 2014. Disponível em: https://serieucdb.emnuvens.com.br/serie-estudos/article/view/771. Acesso em: 21 fev. 2023.

FRANÇA, R. C. C. R. A cultura visual da Marujada: sentidos e significados das práticas culturais da juventude bragantina-PA: o estado da arte (2014-2018). Revista Arteriais. Belém, v. 6, n. 11, p. 99-110, dez, 2020.

MARQUES, E. C. O.; MENDES, J.E. O ensino de artes no currículo da educação básica no contexto atual: contradições e desafios. Revista on line de Política e Gestão Educacional, [S. l.], v. 26, n. esp. 4, p. 1-15, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.22633/rpge.v26iesp.4.17132. Acesso em: 10 fev. 2023.

MARQUES, E. C. O.; RAMOS, J. F. P. O ensino de arte na UECE e UNILAB: cultura popular e lúdica na formação de educadores (2013-2017). Revista Educação, Artes e Inclusão, [S. l.], v. 15, n. 4, p. 77 - 104, 2019. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/12739. Acesso em: 10 fev. 2023.

PEREIRA, R. A. G. Formação de professores de dança: um estudo da etnocenologia a partir das narrativas dos egressos da Licenciatura em Dança do PARFOR/ETDUFPA. 2018. 220f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Pará, Belém/PA, 2018.

ROCHA, D. Pesquisas com/as minorias nortistas amazônidas: aportes teóricos de um pós-currículo das diferenças. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPED, 39., 2019, Niterói. Anais ... Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2019. p. 1-17. Disponível em: http://39.reuniao.anped.org.br/wp- content/uploads/sites/3/trabalhos/4520-TEXTO_PROPOSTA_COMPLETO.pdf. Acesso em: 20 jun. 2022.

RODRIGUES, T. S.; RODRIGUES, D. S. Educação de jovens e adultos: artes visuais e trabalho no contexto escolar e extraescolar amazônico. Revista Digital do LAV, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 48–72, 2015. Disponível em https://doi.org/10.5902/1983734820532. Acesso em: 5 jan. 2023.

RODRIGUES, W.; OLIVEIRA, K. F. D. Utilizando os saberes musicais locais na educação escolar. Revista Querubim, [S. l.], v. 6, n. 39, p. 40-47, 2019. Disponível em: https://www.academia.edu/40831151/UTILIZANDO_OS_SABERES_MUSICAIS_LOCAIS_NA_EDUCA%C3%87%C3%83O_ESCOLAR. Acesso em: 5 jan. 2023.

SANTOS, B. S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos Estudos, [S. l.], n. 79, p. 71-94, 2007. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-33002007000300004. Acesso em: 21 fev. 2023.

SANTOS, P. J. S.; FRANCO, Z. G. E. Breve estado da arte sobre a pesquisa em ensino de artes com a temática das toadas do Boi Bumbá de Parintins (AM). Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 16, p. 1-10, 2022. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/38577. Acesso em: 5 jan. 2023.

SILVA, M. G. O ensino de artes nos anos finais do ensino fundamental: um estudo da prática do arte-educador no sul do Amazonas. 2021. 156f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Humanidades) – Universidade Federal do Amazonas, Humaitá/AM, 2021.

VIDEIRA, P. L. Batuques, folias e ladainhas: a cultura do Quilombo do Cria-ú em Macapá e sua educação. 2010. 260f. Tese (Doutorado em Educação Brasileira) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza/CE, 2010.

WALSH, C. Interculturalidad y (de)colonialidad: Perspectivas críticas y políticas. Revista Visão Global, Joaçaba, SC, v. 15, n. 1-2, p. 61-74, jan./dez. 2012. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/visaoglobal/article/view/3412/1511. Acesso em: 21 fev. 2023.

Downloads

Publicado

2023-09-13

Como Citar

MARQUES LEMOS, D.; BAPTAGLIN, L. A. PROTAGONISMO DAS EXPRESSÕES ARTÍSTICAS AMAZÔNICAS NO ENSINO DE ARTES NA/PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA: quando o seu ouvir, ver e fazer (in)surge. Revista Exitus, [S. l.], v. 13, n. 1, p. e023053, 2023. DOI: 10.24065/re.v13i1.2336. Disponível em: https://portaldeperiodicos.ufopa.edu.br/index.php/revistaexitus/article/view/2336. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)